AS NOSSAS CONDIÇÕES
ESPECIAIS PARA TI

Desconto de 10% nos workshops a quem se desloque de bicicleta para os workshops (não acumulável com outros descontos)

Desconto de 10% para estudantes nos workshops de valor até 90€ e de 5% nos de valor superior a 90€ (não acumulável com outros descontos)

Free wi-fi | Wi-fi gratuito

Biblioteca do Fotógrafo e do Viajante com livros e revistas de consulta gratuita

Ao clicar em "Assine Já" está a aceitar os nossos termos e condições e políticas de privacidade

Café ou chá 

COMPRA O TEU
SEGURO  DE VIAGEM
COM DESCONTO AQUI
  • Facebook - White Circle
  • Instagram - White Circle
  • Twitter - White Circle
  • TripAdvisor - White Circle
  • YouTube - Círculo Branco

©2017 www.trilhosdaterra.com

À VOLTA DOS ANNAPURNAS POR DIOGO TAVARES

Uma Exposição Fotográfica que partilha a aventura do Diogo Tavares pelos Annapurnas.

10 dias
310,4 Km
5416m upa upa!
21470m D+
19823m D-
1 pedal
0 pneus furados
12014 Namastés 🙏
Este é o meu Annapurna Circuit em números. E é provavelmente o que menos interessa. Por estes dias tive o privilégio de mono-pedalar em cima da incrível e fiável amante Britango, na sombra dos picos mais altos do planeta Terra.
Apesar do corpo dorido, dores de cabeça nas alturas, das nuvens de poeira, das loucas gincanas com jipes e motoretas, falta de banhos (como se fosse um problema), das saudades do meu puto, os incontáveis kms a empurrar a bike, foi com uma alegria avassaladora que todo o santo dia caía com estrondo na cama, com a certeza que estava no lugar certo. O dia seguinte iria acordar com a energia bruta da oak porridge milk with-a-fruta-que-houver, dois ovos cozidos para a viagem e o entusiasmo quase infantil como se fosse o primeiro. Os gigantes brancos estão todos lá fora à espera para fazer companhia. Os Nepali, putos e adultos, com uma curiosidade genuína, aproximam-se. Querem uma foto contigo, por vezes só com a bike. Fazem perguntas e, mais do que tudo, com poucos gestos e ainda menos palavras, sabem sentir-te bem vindo. Dhanyabad, gente boa! (Excepto o cabrão que me levou o frontal, em Ghusang. Tinha duas semanas e custou-me os olhos da cara...)
Estou no coração dos Himalayas foda-se!!!
À noite nas margens do Fewa em Pokhara, em forma de celebração, queimei as fichas todas com street-food-amanhã-tens-a-tripa-feita-num-caco, pedi uma Tumba de millet e celebrei à campeão com a “Once in a Lifetime” do mestre David Byrne.
Está na hora de voltar.
_
O valor da venda das imagens reverte
50% a favor da Associação BioLiving
50% ajuda a financiar a próxima aventura.

Este é um evento com o apoio IATI Seguros Portugal